Marcadores

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Do outro lado do tempo

Mais uma brincadeira na qual me inseri: Blogagem Coletiva proposta pelas meninas: Mari e Silvana!
Aceito o desafio, postarei a cada sexta, no meu Blog e nas páginas delas, sendo a cada sexta, uma nova imagem (Por elas proposta) e 140 caracteres.



BC Uma Imagem, 140 Caracteres #101 no Blog de Mari





 
E tudo vai ficando distante, até que se torne um minúsculo ponto no horizonte, apenas a mera lembrança, do que ficou do outro lado do tempo.

domingo, 23 de agosto de 2015

Tempo




Mais uma BC no Blog da Mari, Uma Imagem 140 caracteres, sendo está a blogagem de nr 100! Parabéns Mari!






         Mas é fato, ele não para e às vezes amedronta pela pressa ritmada, em outras batendo a porta, desconcerta quando lento, acentua a saudade...








quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Barreiras

   




Sou afligida pela tua indiferença. Preciso habitar te coração. Quisera te alcançar os pensamentos, entrar ainda que ruidosamente aonde me vedas...







Outras lembranças de amor...




Outras lembranças de amor...

        O tempo com sua azeitada engrenagem, não permite vazios, é preciso e meticuloso. Bate em minha velha e surrada porta, só para lembrar que o passado nada mais é que a memória viva do que foi bom, do que fomos do nosso efêmero amor.






       Aporta em minha lembrança uma antiga e embolorada imagem do passado. O relógio, já não precisa as horas, a foto esmaeceu só não se perde de mm a cor do que foi aquele doce e etéreo amor.








terça-feira, 18 de agosto de 2015

Dupla Interpretação






Dupla interpretação


Um livro evoca a liberdade. Basta que absorvamos seu conteúdo, e a viagem inicia, sem destino ou data de chegada...





Era uma vez um contador de sonhos, um colecionador de ideias, que ao ser partilhado, multiplicou esperanças, uma revoada rumo à liberdade.











sábado, 15 de agosto de 2015

Elo compartido




E
lo compartido (EC)


Fomos muitos,
Foram tantos,
Foram sonhos coloridos,
Hoje, somos tão poucos,
Parcos desbotados,

Sonhos assim desvalidos.



Fomos jovens
E fomos sábios
Corajosos
Destemidos
E agora?
Se o medo aflora,
A falta apavora,

Somos soltos, perdidos...




Fomos quase um universo,
Fomos milhares, centenas,
Depois do tempo, adverso,
Ficamos sobras,

Apenas...



Já fomos mais do que muito,
Mais que tanto, mais que cem,
A conta foi se abatendo,
Foram ficando...

Ninguém.







Desfeitos laços de sangue,
O elo foi apartado
Na roca da dor foi fiado
Sem sobra,

 Resto sem nada...



Nem doze, nem dez,
 Nem mais cinco.
Nem mais que dois,
 Restou vazio.
Pois que se sobra migalha
É mesmo que ser...

 Que ser nada.


 


 
 
*****

Este texto faz parte do Exercício Criativo - Meus Doze Filhos
Saiba mais, conheça os outros textos:

http://encantodasletras.50webs.com/meusdozefilhos.htm



sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Sobre escrever




BC 1 Imagem, 140 Caracteres nr 99 no Blog de Mari








Quando há tanto a dizer, e um nó trava palavras, no silêncio, fala o olhar. Na escrita é necessário se despir inteiramente: alma e coração.







Refletindo....



Uma Imagem, 140 caracteres no BC nr. 67 no blog de  Silvana

                       

Refletir sobre a vida, privilegiando o amor e amizade, atitudes justas e coerentes, torna a passagem mais harmoniosa, o cotidiano mais leve!








quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Beijo de flor

Mais um Desafio proposto por Margarida Fonseca no Blog 77 palavras

O que vos proponho então é o seguinte
 

O provérbio a usar é este: 

Bom saber é o calar, até ser tempo de falar.
 
Agora, alinhando à esquerda o provérbio, completamos o texto, assim (o número de palavras por linha é o que se precisar, claro):


 

                    


 Beijo de flor
 

Bom, é te abraçar e tua boca beijar...
Saber do doce do mel, aroma de primavera,
É sentir-se leve e louca, desfalecer, quase no céu.
O querer bem é vinho a envelhecer, fruta a amaciar.
Calar palavras tuas, e no silêncio do olhar, sorver, saborear.
Até perder-se em desalinho, de tanto amar
Ser presa fácil, plena entrega permanecer, querer ficar.
Tempo de relógio parado, tempo de delicadeza.
De fluir, renascer, reverberar.
Falar, e borboletas sentir, flores exalar...




 
 
 
 


 




Leia mais sobre essa deliciosa brincadeira literária no blog de Margarida Fonseca Santos:
http://77palavras.blogspot.com.br/
 



                    



 
E os meus exercícios no Blog 77 palavras
http://77palavras.blogspot.com.br/search?q=Roseane+Ferreira
 
 

 
                     

Dezembro vindo.....

Daisypath Anniversary tickers
Monarch Butterfly 2

Escrevo para.........

Quando escrevo exorcizo fantasmas, é meio abstração e também minha realidade se despindo.Sou eu me confessando a mi mesma.

Um Poetrix ...verdinho......


Escrevo para....

Escrevo para por no mundo pequenas ânsias, escrevo para aportar desejos aflitos, escrevo para me salvar, é como Jogar as âncoras, o barco ora vai ao sabor das ondas, ora é a deriva....
Escrevo para acariciar as suas almas,e ser tocada por seus olhos impressos de brilho!
escrevo para Gozar,Flutuar, ser e merecer, Escrevo para seus delírios, seu deliciar!
Escrevo para vocês,
Agradeço seus olhos em mim, na minha ruptura poética!
Escrevo!

Muito grata por me sorverem as letras!
A todos que aqui passarem seus olhos, mentes e corações!
Rose

Sobrepondo Sonhos.....