Marcadores

sábado, 27 de junho de 2009

LUA ( Prata e leite...) Rol de Poetrix


Lua

Lúbrica
Livre,
Linda, luzidia.


Lua II

Em prata
Desata
De amor me transpassa...


Lua III

Tua
Nua, insinua...
Na rua, evolua...


Lua IV

De prata
De_leite
Densa delícia.


Lua V

Amante
Desmancha
Cascatas em prata.

REFLEXOS



REFLEXOS

Meu céu é azul quando reflete o teu,
O mar avança, invade, vezes revolto,
Teus rios pacificam-se em mim.


Refletida em sóis, teus raios luzem meus ais,
Sou refeita se esperanças, rarefeita de sonhos,
Teu som de aquecimento repercute minha voz,
Aromas inescrutáveis confundem-se a nosso consentir.
Sou abundante de anseios, densa de ilusões.

Sou estações.

Ares primaveris acrescem com teu sorrir.
Sou névoa que embota teu olhar fugidio
Sou sépia outonal quando de mim te ausentas
Porém brilho translúcido se teus olhos me perpassam.
Sou gama infinda,
Sou alma que requer minúcias
Carecendo... do teu existir.

Cores.....


CORES

Se cores
AZUL, celeste, vivo e intrigante,
A luz do teu olhar.

ACINZENTADO, se um ar de tristeza persiste, desassossega,

VERDE, verdejante, esperançoso de tua presença, do teu aconchegar...

Entre opaco, negro, silente e perdido, se te vás e perco teu olhar,

RUBRA vibrante, aquecida e calorosa se entregue ao teu sôfrego amar.

CLARA, calma pacificada, plena e intensa de luz,
Se refeita do amor, no teu abraçar.

LILÁS, nuances de violeta, arroxeada de paixão, de vontades, emoções, desejos de amor-amar...

Sou cores diversas
Alegres, cantantes
Inversas, oscilantes,
De matizes repleta.


Sou gris, sou calores.
Alvas nuvens sou ar.
Chuvosa, cinza no olhar.
Rubor, realçar, fulgores.


Mas se não me vem a dor
Amanhece o clarão do dia
Sou qual natureza em cor
Plena de amores e alegria!

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Mares Poéticos....




Mar

Marejando
Maré de sizígia
Nosso mar(a) mar.

Mar II

Maré alta
Volumosa
Pré(a)mar.


Mar III

Manso

Mansuetude.
Baixa_mar.


VI

O mar encher
Transbordar
No teu soluçar.


Vi

O sol se por
O céu perder a cor
O mar secar de ti.


Vi

Vi verter
Vi vazar,
Paixão desaguar.

Em um certo doze de junho...





Em um certo doze de junho...

Numa esquina movimentada do comércio da minha cidade passo e observo um rapaz bem arrumado, em uma mão o telefone, uma embalagem, um presente na outra mão. Termina a ligação, olha ao relógio. Parece ansioso. São 14h10minhs.
A cena é normal, rotineira face ao dia, doze de junho, de certo ele a esperava. Namorados talvez recentes,isso quem vai saber. Trago a cena já passada para comentar a importância que possa significar a data para ele, para tantos. O comércio como em muitas outras datas extrapola em um boom de propagandas, bombardeio nos bolsos, nos desejos e pouco importa o significar da data propriamente dita. Dia de mero simbolismo, afinal agradar, declarar, presentear não requer data oficial, marcada. Basta a vontade, o ânimo de arrebatar um sorriso, um par de emocionadas lágrimas, um beijo partido do coração.

Mas assim funciona e os namorados, enamorados, namoridos, acham uma bela razão para brindar este “ ser” namorados. Afinal ser namorado é o que? Uma condição?Qualificação? Temporária ou permanente situação? Um estado civil?
Um estado de espírito?

Fico mais com certo “ Estado de Alma”.
Um estar de alma enamorada.
É um doce sentir, um grande vivenciar.
Enquanto estado de alma pode ser perene, efêmero, transitório, mas quem já não vivenciou tamanho acréscimo por ao menos uma vez?

E se vivenciou foi valoroso, não importa a duração, o ponto final. A vida nada mais é do que um constante abrir e fechar de fases, ciclos e nesse transcorrer assim como as pessoas podem transpor conosco períodos, podem ficar, encerrar e outros personagens poderão se fazer presentes.

Importa viver na intensidade, verdade, prazer, alegria cada enamorar experimentado. Amor se renova, se revigora, é sentimento que vive em nós, sempre. E sempre estaremos aptos a essa troca de energia, experiência, com aqueles que nos conquistam com quem conquistamos.

Amar é constante conquista.
É nobre.
É bonança.
Namorar é transgredir, transpor em nome desse amor.
Ame!
Apaixone-se! Seja namorado! Esteja enamorado!
Namore!

NOVEMBRO POÉTICO



NOVEMBRO POÉTICO

Quando ganhei NOVEMBRO no desafio, minha cabeçinha meio “ oca” de idéias vagou, viajou e nada de novembro me vinha. Pedi até ajuda a Nena, aflita que fiquei.
Minhas datas especiais na maioria são em dezembro, meus meses favoritos são junho e outubro. Como a intenção é mesmo desfiar, pensei fazer algo Instigante e que aprecio. As chamadas Poesias curtas, algumas com métrica definida, sílabas poéticas exatas e outras não. Deste modo Apresento a vocês um discorrer suave, musical, sobre Novembro. Um mês que virou Poesia!





Novembro (Acrostrix)

NOva luz, novos ares.
VEMos chegar, refazendo.
BROtando amor que recria!


Novembro (Tautotrix)

Novidades
Novas notícias
Nascendo nas noites!


Novembro _ LETRIX

N
O
V
E
M
B
R
Onde reinam as flores// festas se anunciam//Plena primavera.





Haicai 160

Flores coloridas
Perfumes inspiradores
Alegre Novembro!


Tanca 67

Novembro de cores
Mês de plena primavera
Inspiração instigar.

Perfume no ar entranhado.
Diversidade das cores.


Novembro em Trovas
I
Mês de intensa expectativa
Antecedendo o momento
Sentir-me feliz e viva
Antever o nascimento.

II
No Mês seguinte, a chegada.
Linda, saudável, esperta.
Muito grata e emocionada
Meu Deus sou feliz, na certa!

( minha Taty veio em Dezembro)





Sweet November - ( INDRISO)



Filme repleto de afeição
Emoção, acepção diversa da vida,
Amor que conforta o coração.

Descobrir razões, essencialidades.
Encontrar no amor convencimento
Partilhar - Entrega comovida.


Intensamente, eternizar o momento.

O sentido do que é felicidade.



# Publicado no Desafio Poético dos Meses do Ano.

terça-feira, 23 de junho de 2009

Quando o meu amor chegar ( Parte II )



Parte 2

Quando o meu amor chegar eu quero:

Estar sorrindo,
Com cheiro de flor de laranjeira,
Cabelos livres e limpos,
E um ar de menina, uma menina no ar...

Quando meu amor chegar quero recebê-lo em abraços,
Abraços de corpo e de alma...
Que demorem pela vida a fora...

Quando meu amor chegar vou estar bem alegre,
E vou viver esse encontro como fosse,
A chegada da primavera.

Quando meu amor chegar,
Quero expurgar a saudade
Que me preenchia só de pensar,
Que ele ainda viria.

Quero estar assim azul,
Ou quem sabe rosa-chá
Quero músicas suaves, melodiosas,
O nosso encontro brindar.

Quando “ele” chegar
Quero recebê-lo na porta,
Com a alma em festa e coração em desalinho...


Quando ele chegar
Quero férias pra nós dois,
Telefones esquecer,
Só pra ele vou estar.

Quando então ele chegar, inda será dia,
Anoitecerá,
E podem vir madrugadas,
O relógio do tempo vai parar.

Há de encontrar em mim, sem dúvidas e indecisões,
Uma mulher suave,
Uma alma encantada,
Uma fêmea delirante,
Um ser pleno, para amar.

Quando o amor chegar ( Parte I )


Quando o amor chegar quero estar acordada, de braços e olhos bem abertos, prontinha para recebê-lo!
Quando ele chegar quero esta completa de sentimentos, apta a partilhar sem nada para atrapalhar!
Quando ele chegar quero estar mais generosa mais sábia com uma maturidade ideal, sem medos, pressas ou ânsias!
Quando ele chegar quero estar de coração limpo livre de mágoas e sentimentos que entristecem e acorrentam, solta e plena de ternura!
Quando o amor chegar quero me sentir livre, dona de meus próprios quereres e com vontades definidas, desejos claros e sinceros, prazeres honestamente revelados.
Quando o amor chegar quero estar transparente, fluida, atenta aos rumores, decifrando gestos, compreendendo olhares.
Quando o amor chegar enfim, quero estar pronta em paz, em equilíbrio de corpo e mente alma e coração, para assim bem recebê-lo!
Quando o amor chegar serei paz e avidez, em total harmonia, só para o amor abraçar!

Pensei te falar de amor...




“Se eu pudesse por um dia esse amor, essa alegria eu te juro, te daria se pudesse esse amor todo dia” ( Tom Jobim)


Pensei te falar de amor.....


Pensei te falar de amor, mas quis omitir palavras, ser mais que as próprias palavras.
Dizer do amor, com sentidos, sensações, gestos que falem tudo que penso do amor.
Digo-te então suavemente aos ouvidos, canto-te uma canção baixinho, melodiosa, que fala de amor em versos, notas, arranjos...
Sou então uma canção...
Ainda assim sou pouco ou quase nada, pois que o amor é sentimento aflorado, vivificado. Penso então nas flores frescas orvalhadas, arranjadas coloridas perfumadas vibranates como é o amor. Monto-te um ramo, ou então fecho os olhos, aquela que meu olfato roubar meu tato acarinhar será para ti. Palpável, frágil, perfumada, de beleza inigualável. Pois assim é o amor, pureza aspergida de beleza. Suave. Terno.
Flores e música são de todo ínfimas dada à abundância, enormidade a vultuosidade do que é o amor. Hei de me armar com mais gestos afinal não existirão palavras, mas hei de tocar a ti com a expressão material do que não materializa.
Se é doce o amor, se tem sabores, é tentador, preparo-te então uma cesta com capricho.
Adocico teu paladar, ao descobri-la encontrarás doces que desfazem na boca, frutas frescas, macias, cheias de sumo com deve ser o amor.
Mas o amor ao se declarar pede mais, porque é amor.
Pede versos, poemas, sonetos escritos só para o amor. Então componho um Poema, textualizo pensamentos e em letras, grafo o amor para ti. Será o teu Poema de amor. Mas assim, por tratar-se de ti e de amor para ti, há que ter mais. Requer mais.
Penso que diria a ti bem melhor com sóis, estrelas, luas e mares, mas esses te dou só em pensamento. Mas já são teus.Ainda assim é pouco.
Quando pensei em te falar de amor pensei gestualizar, palavras nunca diriam a ti tudo que o amor quer dizer.
Então penso em chegar até teu coração com um abraço, aquele que acode a existência, salva, refugia, faz renascer a vida. E te beijar o beijo que se dão as almas que se buscam na imensidão do universo.
Então estará dito escrito, musicado, ofertado o amor que tenho para ti.
Amor que brota em cada pensamento, faz renascer esperanças.
Dá a vida cores vibrantes, acrescenta vida a própria vida.
Nesta hora junto a ti olharei em teus olhos buscarei com minhas mãos as tuas, afagarei com meu olhar o teu então palavras caladas irão até ti, atravessarão a pequena distancia existente entre nós, invadirão tuas retinas, levarão o que sinto ao teu coração.
Nesta exata hora nossas mãos aquietarão seus toques, e transmitirei a ti o calor que aquece a alma.
Neste único instante saberás que falo de amor.
Direi que te amo.
Sem palavras.

Tu_meu Porto


Eu
Aqui
Aportei
Ao longe vi.
Avistei, busquei.
Ansiava ancorar
A deriva há muito
A ventava uma saída.

Tu, meu porto, chegada
Teu cais, laço forte.
Terra firme é.
Terra vista.
Teu porto.
Tudo.
Tu.

Pessoas são escritas


Pessoas são escritas

Algumas pessoas escrevem passagem em nossas vidas com lápis clarinho... Essas podemos perfeitamente apagar. Outras tantas embora tentem se fazer impressas são como impressões de Fax/comprovantes de Caixas eletrônicos, após certo tempo apagam-se totalmente o por si só.

Muitas delas se escrevem como textos digitados, a correção é perfeita, sequer lembramos que um dia existiram. Apagam-se ou deletam-se com exatidão. Apagamos por completo e sem sinais.

Existem algumas que escrevem de caneta seu passar, tinta normal, permitem ser apagadas, porém se com borrachas deixam marcas, às vezes borram, se com corretivos, marcam de toda maneira. Mas, podem ser apagadas.

Por certo há que dizer que alguns seres tão especiais, diria até exclusivos, se escrevem ao mesmo tempo em que se inscrevem em nossas vidas de forma manual, artesanal, com forma e moldes jogados fora, com tintas que não borram ao molhar, não apagam em contato com a água, não se apagam com borrachas, corretivos, e ficam impressas em nossas vidas e memórias de maneira indelével. Incrustadas que são no nosso existir , coabitam nossa passagem nessa morada.
Essas sim escrevem em nós com a caneta do eterno. Pessoas que eternizamos em nós. Quer sejam queridos amigos ou antigos e inesquecíveis amores.

SOBRE RETRATOS DE AMOR...


Sobre retratos de amor

Tem um livro de Rubem Alves que chama Retratos de Amor, um dos meus preferidos (só para registrar). Tenho o hábito de relê-los ou mesmo estou frequentemente os manuseando em busca de um verso, um texto, um trecho ou outro, enfim. Dia desses peguei “Retratos de Amor” e der repente me ative a sua capa, que tem a imagem de um porta-retrato com o espaço vazado escrito assim: “encaixe aqui seu retrato de amor”.
Isso remete a tantos acontecimentos, retratados em nossa memória e quantos retratos de amor idealizamos ao longo dessa jornada. Quantas fotografias perfeitas imaginamos,nossa e de nosso ser amado.
O retrato de amor que o autor refere é sim o retrato de amor que buscamos, pretendemos nas nossas relações. Ideal que fosse como o retrato de nossos pais, avós, aqueles bem antigos nos quais o homem (cavalheiro) está de pé atrás da cadeira onde está sentada a mulher, indicando proteção, respeito e admiração. Esse é o retrato mais fiel que vem em minha cabeça, esse é o retrato de amor, ainda em preto e branco de meus pais.
Mas o interessante disso é que sendo um amor duradouro, uma relação estável e única, para eles há um único retrato.
Já nas relações atuais mais modernas e cotidianas a possibilidade de um único retrato é quase impossível. O porta-retrato então tem a foto trocada temporariamente porque as relações já não são tão estáveis, seguras e concretas.
Em especial retorno o texto e a reflexão à minha pessoa. De cada experiência uma foto preferida, alguns amores vividos, nem sempre compartilhados, uns eternizados na lembrança e nenhum perpetuado até os dias de hoje.
Quanto ao livro, ensaiei apor uma foto, mas a idéia foi prematuramente abortada.
Eis um motivo para refletir. Avaliar. Para que se precipitar? Antecipar situações, apenas para satisfazer uma vontade premente, uma carência de querer se dar? Algumas vezes, se não a maioria a reciprocidade não vem ou não recebemos aquilo que esperamos ou achamos que merecemos e isso fragiliza gera frustrações e baixa a auto-estima. Em alguns casos estar bem resolvido amorosamente, ter muito amor para dar e querer dar, afugenta, causa medo e afasta nossos objetos amorosos, ideal é encontrar pessoas no mesmo nível de resolução que o nosso livre de inseguranças, conflitos, neste caso a história pode gerar boas relações, saudáveis relações e amores compartilhados verdadeiramente.
Resta então procurar dosar a entrega, claro sem negar transparência clareza e sinceridade, mas dosar esse amor que canalizamos e as vezes queremos de uma única vez fazer desaguar. Geramos inevitáveis alagamentos!
É errado amar? Não.
É errado querer doar tanto amor? Não.
Então tenho que mudar de comportamento? Me tolhir, aprisionar, conter? Não
Carece de apenas uma ressalva no comportamento, conceder, doar, acompanhando a pré - disposição do (a) parceiro (a). Não é de modo algum se ferir, não implica em “não ser eu”. Sou eu sim porém observando melhor, gerenciando melhor os sentimentos,introduzindo pequenas mudanças de comportamento.É fácil? Asseguro-te que não. É um exercício diário e deve haver até mesmo ajudas, de livros, conversas, ou mesmo um profissional para abrir, ampliar esse entendimento. Mas é plenamente possível.
Reescrevo aqui e assim me abro para mim e a todos que me lêem que tenho pretensões de uma foto, não a de meus pais, mas a minha na capa de meu livro e para isso estou promovendo em mim mudanças, aceitando desafios e me conscientizando do que e em que preciso melhorar.
Não deixarei, portanto nunca de amar inteiro, completo. Buscarei acertar passos, compassos, sintonizar na mesma freqüência. Na certa, o Retrato de amor, virá.

domingo, 21 de junho de 2009

Tanca 68


Tanca 68

Lareiras a postos
Fogões de lenha se acendem
Reunindo, Juntando.

Aproximando as famílias.

Acrescentando amizade.

Tanca 67


Tanca 67

Rigoroso inverno
Frio no corpo incomodando
Buscar agasalhos.

Tempo para se aconchegar.

Buscando calores trocar.

Invernal (Indriso)


Invernal

Agasalho-me no silêncio das palavras
Resguardo-me do frio, aniquilando o interior
Assolam-me as cinzas das cores da solidão.


Recomponho as vestes, tiritando a alma de dor
Refaço caminhos sombrios, apago pegadas do chão
Parto rumo ao incerto, meus olhos congelados de ti.

Restam-me anseios de primavera...

Alimenta-me um verão que não vivi.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Vida Ribeirinha.......




VIda Ribeirinha


Pescar,
Caçar
Rios e florestas encantar....

Seres da Floresta...... ( nosso respeito)


Seres da Floresta


A quem devemos
Do que somos
De onde viemos.....

Haicai 159


Haicai 159

Descobrir riquezas
Amazônia vasta e bela
Reserva do mundo.

Haicai 158


Haicai 158

Ganância desperta
Alerta para o cuidado
Combater e cuidar.

Haicai 157


Haicai 157

Frutos, flores, ervas.
Manancial indescritível
Rica e desejável.

Haicai 156


Haicai 156

Doces, travosos
Ácidos, tenros, azedos.
Suculentos frutos.

Haicai 155


Haicai 155

Tucumã, tapioca
Buriti, uxi, taperebá.
Graviola, Muruci.

Haicai 154


Haicai 154

Mangas suculentas
Amarelas, verdes, rosas.
Duras ou no ponto.

Haicai 153


Haicai 153

Exótico fruto
Bacuri sabor distinto
Degustar diverso

Ávido Coração ( Duplo Acrostrix com Tautograma)


A brir-se as alegrias
VIvencias: Vislumbrar verdades
DOs desejos deliciar-se, das dores destituir.

COnstruindo com correção claros caminhos
RAro reascender reluzente reencontrar
CAOtização combatida, condensar carinhos.

Varais.......( Entre cores e solidão)


Varais I

Vazios
Vislumbrando vagar
Vicissitudes.

Varais II

Vazios
Solidão violando
Ausências.


Varais III

Interiores
Devorando a falta
Dependurar amarguras.

Varais IV

Almejando
Cores, diversidade
Abundando.


Varais V

Plenos
Vida e exposição
Sons e Alegrias!

terça-feira, 16 de junho de 2009

Janelas Para o Céu....



Janelas Para o Céu...


Janela 1

Debruçar
Do alto avistar
Encontro de azuis - céu e mar.


Segunda janela

Ampla, escancarada
Fenda para o passado
Velhos sonhos revisitar.


Janela 3

Nau fundeada
Do convés diminuto sinal
Baia e calmaria.


Quarta janela

Descerrar
Plena visão
Olhos meus,


Janela A_ final

Cristalino, permanente
Tu,
Minha retina .

In The Air.....


In the Air

Por todo canto

Ouvem-se luzes
Vêem-se aromas
Aspiram-se sons, ruídos.


Em cada esquina

Ressoam as cores
Os brilhos murmuram
Encantam o som dos amores



Em muitos corações

Habitam os sonhos
Ativam-se as esperanças
Amores sarando dores...

TANCA 66




Tanca 66

Dois lados da moeda
O ruim e o bom paralelos.
Potencial destacar.

Mata, declarado usurpar.
Incoerências do humano.

TANCA 65


Tanca 65

Invejáveis frutos
Amazônia destacada
Potencialidade.

Valorizar as riquezas
Da grande e rica floresta.

TANCA 64




Tanca 64

Verde Exuberante
Crateras pela floresta
Desmatar infindo.

Dilapidar a floresta.
Mudando o tom para marrom.

Sentidos A_TI_vos


Sentidos a_ TI_vos

Vejo

Visual vislumbre
Vôo via visão
Viajo vastidão...


Ouço

Ondulando
Obscuro objeto
Oculto ouvir...


Toco

Tua tez
Tenho tua textura
Temeroso transitar...


Cheiro

Capto
Conduzo contagiada
Condenso cataliso.


Provo!

Pratico paladar
Palatável
Perfeito prazer!

HAICAI 152


Haicai 152

Cupuaçu apreciado
Inconfundível aroma
Presença nas mesas.

HAICAI 151


Haicai 151

Exotismo e sabor
Em cachos amarelados
Pupunhas degustar.

Haicai 150



Haicai 150

Castanha da terra
Foi no Pará originada.
Essencial a saúde.

HAICAI 149


Haicai 149

Frutos arroxeados
Suculentos, grosso sumo.
Saboroso, Rico.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Querer te encontrar.........


Querer te encontrar


QUERER SABER:

Onde estás?Perto? Ou ao longe...
Fostes?
OU serás?
Passado ou futuro?

SABER QUEM TU ÉS:

Tua voz,
Tez,
Palavras,
Gostos e gestuais...
Como identificar?

SABER-TE:

Real ou fantasia,
Ilusão,
Sonhos,
Alegrias,
Palpável,
Palatável...

ACHAR-TE:

Vem de repente
Meio ao inesperado
Num inusitado?
Identificarei-te?
Dirás que és?
Verei
Saberei, sentirei?
Intuirei?

SERÁS:

A resposta,
O convencer,
A solução,
Para a procura,
A cura.

E A BUSCA:


Cessará?
A espera findará?

RECEIOS:

Que tenhas passado,
Ali,
Na esquina,
Aos olhos,
A vida.
Não pressenti?
Perdi?

AGORA:


Não mais virás...
È longe,
Ausente de mim,
E agora?

ACHO:

Talvez tenha:

Perdido o trem,
O bilhete premiado,
A vez na fila,
Única chance,
Sem “ replay”
Sem voltas
Caminho sem “ Pause”

AO ALVO:


Última vez,
Atirar,
Tiro cego,
Perder ou ganhar...
Fazer viagem,
Arriscar,
Não perder-se no caminho...
Não te perder,
Não se (me) perder...
Agarrar-se a chance,
A ponta da corda...
Do abismo,


ESCAPAR...

O que eu tenho a ver com isso?


O que eu tenho a ver com isso?

Eu tenho...
Tenho sim, tudo e muito mais. Eu tenho bem mais do que só me importar, só lamentar, só me indignar.
Eu tenho que falar bradar, mas e principalmente agir, gestos e ações concretas a começar de mim, na minha casa, na vida pessoal, na rotina diária para então avançar e ajudar a combater tudo o que nos envergonha, constrange enquanto cidadãos, pessoas de bem.

Eu tenho tudo que me importar e ao que puder combater as tantas violências quer com o ser humano quer com o planeta. Eu tenho e quero partilhar com os que sofrem as dores e poder ser alento, mãos a estender, voz a pronunciar palavras que amenizem, confortem o que é praticamente sem conforto, sem conformação.

Sei que posso quero devo me importar com tudo o que incomoda o decorrer natural da vida, o que cerceia, constrange, humilha, mutila, retira, mata, quer na literalidade quer na figuração, quando diz respeito à vida, a dignidade.

O que eu tenho a ver com isso?
Eu, você, todos porque nascemos, temos uma vida concedida, uma nação a qual pertencemos discernir mínimo do bem e do mal, do certo e do errado, lucidez aparente, entendimento, razão, crença, convicção por todo o contexto que nos envolve temos completa responsabilidade, e inúmeros compromissos com a coerência, a correção.

Eu tenho tudo a ver com isso.
Tudo com o que fere, me tira o sono, me faz querer avançar.
Eu tenho tudo a ver com a vida.
Eu tenho tudo a ver com a vida para que ela se torne mais VIDA e menos fardo, mais amena e menos densa, mais honrosa e menos vergonhosa, mais riso e menos abandono, mais alimento e menos fome, mais instrução e menos desrespeito, mais cura e menos dor.

Eu tenho sim,
Por mim, por meus semelhantes, meu Planeta, meu chão.
Tenho sim.
Tudo.




*****

Este texto faz parte do Exercício Criativo O Que eu Tenho a Ver com Isso?
Saiba mais e conheça os outros textos, acessando:
http://encantodasletras.50webs.com/vercomisso.htm

O amor.......... Homenagem aos que privam desse sentir, hoje e sempre....


O amor

O que é se não um socorrer-se as paixões, desatinos assim consentidos, desprender-se da razão?

O que é o amor se não a vida, vibrante borbulhante, encontrar sentidos no silêncio no ausentar de palavras plenas?

O que é o amor afora contemplar, divisar pelas lentes de outros olhos, perceber o que o outro coração quer dizer?

O que é o amor além de estar-se enclausurado sem casulo, oscilar entre o céu e as estrelas, pender no peito um naco da lua?

O que é o amor se não saber-se realeza, de castelos rumorosos, colossais e sem cercanias?

O que é o amor além de abrigar, velar tesouro de valor incomensurável, chave de um precioso, raro coração?

O que é esse nominar se não um condensar dos mais fidalgos sentimentos, que se ativa, aciona por um simples olhar?


O que é esse sentir se não um vórtice de confusas emoções, avalanche de anseios, carrossel de desejos a enlear, entorpecer?

O que é essa palavra, verbo, definição, com texto definido, se não uma plena e coerente indefinição, contexto com ampla, imensurável significação?


O que é amor?

Entre mil, milhões de poetas arrojados que arriscaram as perfeitas traduções, retiro, separo letras provindas do meu coração:


“ Amor é agasalhar outra alma...

É crer, ainda que seja no silêncio...

É não dizer com palavras, é proclamar com o coração,

É libertar os sonhos, partilhando a plenitude dos desejos,

É alegria da presença, magia, feitiço presente no olhar,

É boca que urge perder-se,

É corpo querendo no outro ficar,

Amor - sentir que rouba o ar, retira o respirar, solto o chão quer flutuar,

Sensações de dilúvio interior, inversão das estações, transbordamento das afeições.

Afetos recorrentes que clamam um único expressar,

Amor - É verbo para conjugar, palavra para traduzir, bem querer, afago, exacerbado gostar. É feito para sentir.

Amor - Sem letras, cor, sentido ou razão, indizível, sem regras, parcimônia, lei ou credo, pagão.

Amor, único, ímpar, singular, superlativo, amor sentir embasado na emoção, assentado na paixão,

Amor, indelével, eternizado, provável ante as improbabilidades,


Amor, apenas, amor...

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Boca


Boca

Desenha teu nome
Acentuas o salivar
Provocas
Evocas
Delícias do imaginar
Regalar
Vem...

Veemente ousadia
Abro-me flor e poesia
Sou Rosa
Pode aspirar...


Afoga-te
Em meus lábios,
Meus beijos
Arrefece de desejos,

Chego-te
Em branco sutil, tremeluzindo,
Voejando
Vento e volúpia,
Visto tua pele...
Cercas minha seda...


Meu colo
Teu solo
Achega onde tuas mãos
Sem censura alcançarem
Onde teus olhos febris
Perscrutarem...



Rendo-me
É teu o que vês
O que notas,
Aufere,
Descerra o que se acoberta,


Nus,
Desnudos em gozo,
Plenos,
Soltos pequenos,
Vadios,
Errantes...


Sem rimas,
Sem nexos,
Completos,
Vicejantes...

Versejantes...

Verdejantes..

Artesã das Palavras....



Artesã das palavras...

Qual tecelã e o tear,
Vou remontando palavras,
Fio a fio,
Palavra pós palavra,
Verso a verso,
Pontos, laçadas,
E faz-se a teia,
Engendrada...


Frase, junções, inspiradas.
E entrelaçam-se versos, fiam-se estrofes,
Linhas, fios, nós, arremates,
Suores e mãos fortes,
E surge a rede,
De pescar, deitar...
Belas e com varandas rendadas...
Prontas para colher, acolher, embalar.
Fazer sonhar...


Entrecortados, entremeios,
Ousados devaneios,
Delírios dolentes da composição,
Fadiga, sacrifício, mãos rijas também,
E irrompe a poesia,
Que rima com dia,
Com lua nova,
A embalar sonhos...


Qual uma rede,
Rede de versos,
Palavras,
Rede de sonhos,
Rede de idéias,
Tecelã do mundo,
Tecelã dos atos,
Artista, Artesã
Construtora,
Tradutora do sentir,
Intérprete das idéias...


Quer Pincéis ou lápis
Giz de cera ou palavra
Qual seja o instrumento
É tramar, afagar, nutrir,
Fomentar o sonho,
Sonhar,


É dar-se ao mundo em versos,
É ofertar-se ao mundo dos versos,


É poetizar.

CILADA


CILADA

Costurava
Fazia meus nós
Tuas teias,
Enlaçava,
Fiava,
Seda,
Pelas mãos deslizava...

Tramava
Entremeios onde te prenderia,
Minha vã ilusão
Nos meus laços permaneceria,


Reforçados
Belos
Atraentes,
Licitude aparente,


Cega a presa se achega,
Hipnótico,
Entorpecido,
Estende mãos, braços...
Permite-se sem reservas,


Grade de seda,
Tênues correntes indeléveis
Invólucro assentido,
Tencionando sobejar,


O tempo virá?
Expressando
Permanecerá?
Só sei que nos olhos da presa embevecida
Evidencia,
Um lúgubre reverberar...

Enamorar....


Enamorar

Intenso temporal agravado aos lábios
Raios incandescentes acalorados, inflamados a luz das retinas,
Temeroso faiscar, incêndio alastrar ao sutil perscrutar,
Trêmulo ressoar
Desestabilizar sem sentir onde pisar quando do amor o entregar...
Vendavais,
Maré alta, maresias, tremula o mar...
Vulcão ativado desperta em fervor,
Lavas ardentes entornar profuso, devastar...
Desajuste atemporal
Clima em descompasso
Adverso
A revelia...
Solo infértil a brotar
Veio do solo, seca revolver...
Copioso molhar
Aclamar
Arder,
Amar,
No segundo ato, em paz...
O tempo suavizar
Apaziguar...
No amar,

Descansar...

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Quando penso em presentear alguém...


Quando penso em presentear alguém penso em escrever,uma escrita que agrada e acarinha, põe no colo...

Encontrar alguém, conhecer isso é comum nos dias de hoje, entretanto extrair do comum, do banal do superficial, pessoas que te inspirem, te enleve a alma, pessoas que mesmo sem ver nos motivam, agem mesmo sem saber direto na nossa auto-estima positivamente, pessoas completas invólucro e conteúdo isso sim, é muito raro.

Dizer que pessoas são presentes, isto já é comum... pessoas são anjos também já foi dito...

Que certas pessoas tem cheiro de mar manhã de sol... areia branquinha...também já dissemos.

Hoje, especialmente pensando em uma pessoa quero entregar um recado.
Bem baixinho no ouvido com palavras amenas, adocicadas, dizer que o melhor dessa vida está quando uma essência se encontra com outra e o resultado desse encontro é sublime, é o próprio bem.

Dizer também que algumas vezes não precisa ver o físico, aquilo que se vê com o olhar. Basta ver “no ar” sentir através das estrelas, tocar sem sequer saber a textura.

E falar que palavras boas verdadeiras ecoam velozmente sem importar se faladas ou escritas, importando apenas o quanto estão cheias de pensamentos positivos e o quão bem querem fazer.

Ressaltar que dar carinho não significa estar tão perto, mas estar sempre por perto em pensamentos, em luz, estar guardado bem aconchegado no coração, guarda-se no coração de alguém e ser bem aceito, recebido. Fecho meu recado dizendo assim:
“Há pessoas que são nossas sem nunca ter realmente sido, verdadeiros raios de luz, cobertor quentinho, gosto de querer bem, de bem querer”.

Vão aqui juntinhos das letras, palavras e pensamentos, flores do campo bem frescas e orvalhadas, arranjadas com afeto entremeadas de afagos, coloridas para alegrar, encher os olhos e alma de alegria.

Esse é meu recadinho de hoje para ti, bem de mansinho, deslizando para o teu coração.

Para que seu dia fique mais alegre.....


PARA QUE SEU DIA FIQUE MAIS ALEGRE...



TO TE ENVIANDO:


GOTÍCULAS DE ORVALHO NUMA FLOR BEM FRESCA,
RAIOS DE SOL, OS MAIS BRILHANTES, REFLETIDOS NAS ÁGUAS CALMAS DE UM LAGO,



UM CAFÉ QUENTINHO E FORTE, E UM BOM LIVRO,
UM POUCO DA DOÇURA QUE HÁ NO OLHAR DOS AMANTES,
A ENERGIA DE UM SORRISO SINCERO E ACOLHEDOR,
UMA FATIA DE TORTA DE MORANGOS, OU DE CEREJAS COM CHOCOLATE...


UMA CARTA DE ALGUÉM DISTANTE E QUERIDO, RECEBIDA POR VOCÊ MESMO DAS MÃOS DO CARTEIRO,
SABE AQUELE CHEIRO, QUE AO SENTIR FAZ LEMBRAR UMAS FÉRIAS INESQUECÍVEIS, PESSOAS QUE MARCARAM?TO MANDANDO UM VIDRINHO, DO CHEIRO QUE SE CHAMA SAUDADES...



ENVIO-TE TAMBÉM UM COBERTOR QUENTINHO, PARA OS DIAS INTERMINÁVEIS DE CHUVA,
UM BOM PRATO DE SOPA FERVILHANDO, TOMADA EM UMA MESA BEM GRANDE RODEADA DE AMIGOS...
ALEGRIA E OTIMISMO PARA SEGUIR SEMPRE,
MANDO JUNTO UM ABRAÇO BEM JUSTO,
ABRAÇO INTEIRO,
UNIÃO DE CORPOS E ALMA,
ABRAÇO QUE DIA DESSES VAMOS DAR,



LONGO,

SENTIDO,
DE OLHINHOS FECHADOS,
TROCA DE ENERGIA...
DE CARINHO...



ASSINADO: A compradora de ilusões...

O viço das Violetas


O viço das Violetas

Veio em julho, junho talvez, pouco importa.
Importa que veio, o tempo era sol, era chuva, desesperança.
Colocou o riso de volta ao lugar, ocupou espaços, roubou da alma o pranto. E fez um canto.
Transformou dor em sabor.
Arrolou alegrias para certificar-se que houvera fechado de vez a porta.
Trancafiou a porta da solidão, chaves e chuvas, travas e trovas, isolar.
Abriu em seguida uma janela inteirinha, ora para o sol, ora para o mar.
Sem cortinas ou grades, pode apreciar: andorinhas a revoar, garças a pescar.
Janela aberta, escancarada, chamamento, convidar.
-Vem...
-Vem olhar o que agora a janela quer te mostrar, mas não cansa!
Entrarão pequenos, minúsculos beija-flores,
- Repara! Tem vasinhos coloridos com Violetas na janela!
Eles atraem flores que aos colibris atraem que nos atraem.
- Observa cândidos pássaros que chegam musicais, inebriados com as envaidecidas flores.
- Aquieta... Psiu... fala baixinho,as borboletas, as abelhas estão beijando tuas Violetas.
Matizes lilás. De cores e sonhos.
Além da janela um mundo antes quieto a meditar, hoje burburinho, mundo de pétalas, cheiros, pólen, verdes.
- Ouve! É conversa animada, ritual do brotar...
- Repara que orvalho em pétalas é espetáculo único, cada gota é oferta, presente ao vicejar...
Esta, hoje, é a tua janela...
Cores, fragrâncias, texturas, envolvente descoberta.
E assim será por dias, cíclico.
O efêmero das flores servirá de ponte,
Ponte ao sol,
Ao calor advindo desse cruzar.
Se há pote ao final do arco-íris,
Há realização de sonhos ao final do viço das Violetas...

Para ser o meu amor ( by me)


Para ser o meu amor (By me)
Quando indagada sobre o que busco em um Homem, pensei, e em risos quis escrever isso aqui: Para ser meu amor... Você precisa urgentemente gostar de leitura, alguma que seja, mas se ainda assim isso não acontecer deve decerto conseguir entender o meu olhar... E todas as palavras que ele quer te dizer... Far-me-á muito feliz se possuir a sensibilidade de sentir as dores do mundo, e ser uma pessoa justa, digna do meu completo admirar...
Mas se não há isso, corra! Ainda há chances se ao roubar-me um beijo, eu possa sentir nisso todo o êxtase que me tire os pés do chão, acelere o coração e me aqueça por inteira... Contudo, quero que me goste, me ache assim deslumbrante e me admire sem cansar em dois momentos meus... Quando estiver dormindo e quando eu acordar... Ter-me-á inteira e para sempre se me escrever lindas poesias, declama-las pra mim... Falando do seu amor, mas me ganhará mesmo quando em suas atitudes puder ter confiança no seu amor... Puder te saber realmente meu... Amor...
Há um termo que se faz gesto, que completa os verbos inteiramente, com uma amplitude assustadora... E quero que teu amar por mim seja assim... Incondicional... Pelo simples fato de ser eu, e de me amar... ainda que conhecendo muito a mim como pessoa, fragilizada por meus erros e natural por meus defeitos..... E ainda assim... Ame-me... Sonora e verbalmente transformando isso em gestos, em carne...
Mas só dará certo se for, ainda assim quem você é, com sua autenticidade, gostos, jeito e tudo mais... E me faça te querer bem assim, muito bem a ti e todo teu modo de ser... Nesse amor pleno, pode estar incluído, gostar de tudo que é sensível, e porque não ter uma alma feminina?Por que não? Rir, rir muito, é essencial, bom humor na medida exata, na hora certa... E saber também compartilhar em silêncio, uma dor...
Bom, entre tudo, em querer muito será que ser um perfeito cúmplice é querer demais? Você tem chances agora, se tirando todos os "ses" fores íntegro, honesto, pessoa de bem, do bem... E souber me amar como talvez eu nunca tenha sido com toda a plenitude que só quem ama quem nos ama sabe fazer... Um amor que faz a terra tremer, o chão se abrir, e o principal de tudo... tem que saber me fazer ouvir barulhos de mar.... No meu ouvido... Aí me terá, serei sua. Irremediavelmente sua...

Classificado - PROCURA-SE!


Classificado – PROCURA-SE

Procura-se um amor.
Esse amor há que ter olhos de infinito e olhar que faz sentir agasalhada, protegida, e nem precisa de cores, já que devem ter luz, brilho e magia.
Procura-se um amor com escrita de ternura que ao falar seja como suavidade enviada aos ouvidos, e ao falar “Te ama” não seja como uma estrela e sim constelação, firmamento.
Esse amor será terno, escreverá poesias se não as compuser literalmente, o fará em gestos, poemas em forma de abraços, sonetos impressos em afagos. Poeta do corpo.Transcendente.
O amor procurado há que verter sorrisos que encorajem e testemunhem, sorrisos feitos de estrada, de caminhar seguro, sorrisos que curem febres, estados febris de tristeza.
Procura-se um amor cúmplice do encantamento, parceiro das euforias, amigo dos desvarios, mais amigo que amor, amigo do amor, antes amigo, amigo no depois.
Esse amor procurado deve ser um roubador, perfeito roubador de beijos, eterno ladrão dos gostos, seqüestrador do sossego na hora do porvir.
Procura-se um amor amante, gênio para os desejos, escravo de todas as vontades, guardador das chaves, conhecedor dos segredos, mágico ao fazer levitar.
Procura-se um amor-amigo-amante.
Que entre os três descritos antes passeie bem à vontade, sabendo à hora precisa que a cena pede presença.
O amor procurado não há que ter formas exatas, mas ter impresso em si a voracidade, apetite constante e que, quando cansar há que saber conversar, conversa boa, gostosa, que não vê o tempo passar.
Procura-se um amor qual passarinho, livre, liberto dos medos, aberto a descobrir, desejoso de ser e fazer feliz.
Procura-se um amor com cheiro de flor–de-laranjeira, gosto de fruta fresquinha na boca,pele que a mão acaricie, vicie.
O amor procurado de vê ter coração de imensidão, beijo no coração, coração nos gestos, gestos agregadores de paz, humanidade, paixão e respeito, por si, pelo amor, pelas pessoas, pela vida.
Procura-se um amor masculino, com alma de feminino, do bem, e que roube o juízo. Que faça do abraço cama quentinha.
Procura-se um amor de água pura, fonte que não seca. Cristalino.
Procura-se um amor emocional, apaixonado pela vida, por animais e crianças.
Procura-se um amor feito de amor.
Um amor em flor!
Um amor...

- PROCURA-SE!

Carta ao Mercador....


Caro mercador,
Nas suas andanças muito deve enxergar assim seu mundo cada dia se acresce, acumula.
Veja se encontra aí no meio dessa vasta bagagem alguns “itens" que tem muito tempo ando buscando, me ajuda a encontrar?
Se achar,quando janeiro chegar coloque na minha caixinha um punhado considerável de agrados, afagos, gentilezas e flores frescas, orvalhadas;
Quem sabe encontrou por aí raridades tipo sólidas amizades relações concretas permeadas de honestidade, sinceridade, amores resistentes fortes que se reinventam, transcendentais? Nesse caso se pegou as receitas favor fazer algumas cópias (legíveis) dobrar com total cuidado e me trazer (isso sim será um achado).

Meu caro mercador (de covinhas lindas)
Acaso viu por aí um raro exemplar de Flor-de-Lotus?(dessa eu quero uma perfeita descrição)...
E achou uma gravação bem antiga, porém nítida da voz de Drumont, recitando suas melhores obras?
AH, traga também: (please). A doçura dos ansiados encontros. O vento batendo no rosto, remexendo os cabelos, o cheiro de mar que trazem as ondas. Quero um pouco das sombras agradáveis das tardes de domingo, apenas a contemplar... céu azul;

Finalmente num potinho bem guardadinho quero receber ao abrir:
. Um escandaloso luar. Um livro encantado com personagens interagindo com a leitora;
. Uma composição de Vinicius nunca dantes vista, a mais bela e ressonante declaração de amor de todos os tempos, escrita em um lenço usado lá do bar onde compôs. O verde dos olhos de Chico e tudo que há por de trás deles,inconfessáveis segredos;
.O vinho mais antigo e o queijo mais apetitoso, ambos de cheiros e sabores inconfundíveis, inesquecíveis. O frio que aconchega e o calor que faz arder, brasa e calafrios;
.Traga-me a essência das fiéis amizades e o perfeito encontro dos amantes. A fortaleza que se constrói na solidariedade, e a nobreza do sentimento da compaixão;
. Traga-me a paz, a verdadeira paz. Me traga o som de suas risadas e as covinhas juntas.....
. E quem sabe também,
“Noites com sol e lua em pleno dia.. E porque não??"
Agradecida,

Eu,
Uma simples compradora de ilusões...
Ro

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Dia Do Meio Ambiente


DIA

Desastre
Devastação
Destino, derrubadas

DO

Desertificar
Drama, destruição
Das densas dores.


MEIO

Meta mensurar
Mata modificada
Morte, mitigar.

AMBIENTE

Abrandar a ambição
Acervo: água, ar, abrigo.
Agravado aquecimento

Dezembro vindo.....

Daisypath Anniversary tickers
Monarch Butterfly 2

Escrevo para.........

Quando escrevo exorcizo fantasmas, é meio abstração e também minha realidade se despindo.Sou eu me confessando a mi mesma.

Um Poetrix ...verdinho......


Escrevo para....

Escrevo para por no mundo pequenas ânsias, escrevo para aportar desejos aflitos, escrevo para me salvar, é como Jogar as âncoras, o barco ora vai ao sabor das ondas, ora é a deriva....
Escrevo para acariciar as suas almas,e ser tocada por seus olhos impressos de brilho!
escrevo para Gozar,Flutuar, ser e merecer, Escrevo para seus delírios, seu deliciar!
Escrevo para vocês,
Agradeço seus olhos em mim, na minha ruptura poética!
Escrevo!

Muito grata por me sorverem as letras!
A todos que aqui passarem seus olhos, mentes e corações!
Rose

Sobrepondo Sonhos.....