Marcadores

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Histórias de realejo (Trovinhas)




Histórias de realejo (Trovinhas)

I

Peço a sorte: não te pensar,
Queria tirar, no realejo.
Já que não mereço teu olhar
Sequer mereci teu beijo.

II

Mas nada disso acontece
Penso em ti veementemente
De ti coração não esquece
Eis um sentir que não mente.


III

Queria nas cartas desvendar
Quiçá dos búzios saber
Como da alma retirar
Esse improvável querer.


IV

Nas runas ou nos cristais
Revele-me, por favor,
Não te esquecerei jamais?
Padecerei desse amor?


V

Cigana de mim não omita
Ouso urgente descobrir
Essa paixão que em mim grita
Quando enfim vai sucumbir?

VI

Com a sorte vou brincando
Peço ao periquito ajuda
Sigo meu rumo te adorando
Querer-te, isso sim não muda.

Um comentário:

Jorge Sader Filho disse...

As trovas delicadas e cativantes mostram bem o espírito da autora.

Beijos, Rose.

Dezembro vindo.....

Daisypath Anniversary tickers
Monarch Butterfly 2

Escrevo para.........

Quando escrevo exorcizo fantasmas, é meio abstração e também minha realidade se despindo.Sou eu me confessando a mi mesma.

Um Poetrix ...verdinho......


Escrevo para....

Escrevo para por no mundo pequenas ânsias, escrevo para aportar desejos aflitos, escrevo para me salvar, é como Jogar as âncoras, o barco ora vai ao sabor das ondas, ora é a deriva....
Escrevo para acariciar as suas almas,e ser tocada por seus olhos impressos de brilho!
escrevo para Gozar,Flutuar, ser e merecer, Escrevo para seus delírios, seu deliciar!
Escrevo para vocês,
Agradeço seus olhos em mim, na minha ruptura poética!
Escrevo!

Muito grata por me sorverem as letras!
A todos que aqui passarem seus olhos, mentes e corações!
Rose

Sobrepondo Sonhos.....