Marcadores

domingo, 12 de julho de 2009

O Acre-doce das palavras...



O Acre-doce das palavras...


As palavras me seguem?
Ou eu persigo as palavras?
Farejo...
Percorro as letras solitárias do meu interior? Ou seguem-me por trilhas outonais os versos que abrandam a alma?
Escoltam-me os versos no caminhar?
Ou eu os algemei a minha solidão?


Indago, sou por eles indagada...

Respostas são inatingíveis, volume de imprecisa precisão...

Partem de mim quais flechas inflamáveis, por vezes letais versos que proclamam o íntimo que sou...
Assolam qual sol irreparável na tez descoberta as plenas idéias do coração,os sonhos que da mente fluem, lançando-se em rotos papéis que luzem ao olhar...
Um dilúvio de lágrimas cristalizadas tornam-se preciosas letras, argumentos e artifícios que se fundem e afloram num universo denso, um mundo paralelo de poesias...


Agridoce é o sabor que arde. Flutuante o pensar que invade, feito de sal de sementes, atirados ao solo fértil do meu transpirar. Sou então poema pleno, desfeito em líquidas rimas,sou escrita a ressoar...
Como música viajo desertos, eco e refluxo, sou cavaleiro alado...
Retiram de mim o profundo, letras secam meu poço, saciando a sede de ser verbo, de transbordar,
Transgredir...


Agonia-me,
Agonizo... excede o interminável, idéias que se enfileiram,fila que se alonga,baldes que transbordam,a incansável espera...

Peço então que venham, sem fila, sem ordem, aportem e abordem,
Venham versos sem medidas,
Rimas latentes e recorrentes,
Poetar dolente,
Palavras sem guarida,
Letras libertas, imagens da vida,
Poemas voluntariosos,
Obras que transgridem a dor,

Peço que apenas venham,
Desejosas se apenas ser,
Ao mundo pertencer,
Venham e desanuviem sonhos nebulosos, quereres incontidos,
Derramem em Poesia, deponham, destronem o sofrer,

Venham e sejam fluidas,
E sejam exatamente da cor do tamanho da imensidão do desejo de ser poesia...

Nenhum comentário:

Dezembro vindo.....

Daisypath Anniversary tickers
Monarch Butterfly 2

Escrevo para.........

Quando escrevo exorcizo fantasmas, é meio abstração e também minha realidade se despindo.Sou eu me confessando a mi mesma.

Um Poetrix ...verdinho......


Escrevo para....

Escrevo para por no mundo pequenas ânsias, escrevo para aportar desejos aflitos, escrevo para me salvar, é como Jogar as âncoras, o barco ora vai ao sabor das ondas, ora é a deriva....
Escrevo para acariciar as suas almas,e ser tocada por seus olhos impressos de brilho!
escrevo para Gozar,Flutuar, ser e merecer, Escrevo para seus delírios, seu deliciar!
Escrevo para vocês,
Agradeço seus olhos em mim, na minha ruptura poética!
Escrevo!

Muito grata por me sorverem as letras!
A todos que aqui passarem seus olhos, mentes e corações!
Rose

Sobrepondo Sonhos.....