Marcadores

domingo, 6 de setembro de 2009

Compreender o incompreensível



Compreender o incompreensível

Permitia-se ser levada. Conduzida. Há muito já circundava aquele ermo local.Estranhamente era guiada sempre ao mesmo ponto.Decorriam-se temporadas e quando por alguma razão ia aquele lugar uma inexplicável sensação lhe advinha.O que a intrigava era pressentir gostar.Algo desconhecido ali lhe atraia.
Em uma estratégica ou planejada cartada do destino, avisou-se: Tudo poderia mudar. Haveria que se desfazer do que sequer compreendia, mas o certo é que se distanciaria para sempre da possibilidade de descobrir. Logo sentiu-se em perigo.O risco de arrepender-se era maior e a incomodava.Só então pode perceber o quanto aquele caminho que quase sempre fazia, no qual sentia não ser conduzida por seus pés, cabeça, era imprescindível.Dirigir-se aquele encontrar a libertava do igual, do qualquer.Isentava-a de dívidas consigo mesma.Era incompreensivelmente alentador.
Esteve à beira do abismo. Do derrapar.Precisava socorrer-se.Um socorro que ninguém se não ela poderia se propiciar. Devia a si um decidir. Pensou em pensar. Anulou pensamentos vãos. Apagou supostas certezas. Arranjou-se com algumas tênues razões. Armou-se. Achou no nada, motivos. Definiu fazeres.Não hesitou. Foi. Exultante.
Mais a frente uma nova percepção delineou-se. Algumas sombras que camuflavam o compreender se desfizeram. Agora percebe claramente onde está.Compreende o magnetismo que a atrai. Acolhe o novo. Pode sentir aos poucos o chão. Quer de terra ou nuvens. Está por descobrir.
Mas aposta no bom (boom) da descoberta.
Pretende se permitir ficar.
Estar. Experimentar.
Sente-se quitando débitos com o seu existir. Seu coração.

Um comentário:

Jorge Sader Filho disse...

Plenamente de acordo com o seu convencimento, poeta!

Beijos, bela Rose.

Dezembro vindo.....

Daisypath Anniversary tickers
Monarch Butterfly 2

Escrevo para.........

Quando escrevo exorcizo fantasmas, é meio abstração e também minha realidade se despindo.Sou eu me confessando a mi mesma.

Um Poetrix ...verdinho......


Escrevo para....

Escrevo para por no mundo pequenas ânsias, escrevo para aportar desejos aflitos, escrevo para me salvar, é como Jogar as âncoras, o barco ora vai ao sabor das ondas, ora é a deriva....
Escrevo para acariciar as suas almas,e ser tocada por seus olhos impressos de brilho!
escrevo para Gozar,Flutuar, ser e merecer, Escrevo para seus delírios, seu deliciar!
Escrevo para vocês,
Agradeço seus olhos em mim, na minha ruptura poética!
Escrevo!

Muito grata por me sorverem as letras!
A todos que aqui passarem seus olhos, mentes e corações!
Rose

Sobrepondo Sonhos.....