Marcadores

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Doce segredo




Doce segredo

Na região não existe tortitas tão saborosas. Das duas ou três especialidades a mais requisitada era a de morango( partidos ao meio)envolta por uma mistura de leite condensado, creme de leite recoberta por uma massinha finíssima e crocante que se desfazia na boca finalizada com uma generosa cobertura de chocolate por cima.Aparentemente comum. Mas incomparável no sabor, textura e outras coisitas mais. Uns diziam ser as mãos quase de fada da Dona Ciça( vá saber...) O certo é que os casais da cidade e de toda a redondeza não passavam muito tempo sem degustar aquela maravilha. Aliás, degustar era o que nem faziam, devoravam. O vigor dos amantes renovava a cada ingestão. Vorazes sorviam suas damas quais estivessem a saborear a dita iguaria (seria dos deuses ou de quem?)
Certo curiosíssimo consumidor até chegou ao ápice da curiosidade e mandou examinar a composição da mesma, crente que encontraria guaraná, catuaba, esses incentivos, mas qual o que, havia apenas o trivial já descrito. Nenhuma fórmula mágica.
Algumas mães zelosas até proibiam suas donzelas da ousadia sob pena de terem poucas chances de mantê-las virgens impolutas até o casamento. Era um efeito instantâneo. Homens realizavam suas esposas como nunca, mulheres surpreendiam os maridos com desempenho e criatividade que eles sequer imaginavam. Dado o tanto de tortinhas a cidade tinha um clima de fetiche no ar. Aroma adocicado e meio apimentado do desejo. E a população crescia assustadoramente. Uns contam que uma moça recém alimentada pela mágica porção era facilmente identificada ao passar pelas ruas. Os homens farejavam, perdiam-se no assunto, ficavam meio que hipnotizados, e num despedir tresloucado corriam enlouquecidos para suas casas (ou casa das amadas). O que afinal teria a misteriosa torta?
A Ciça que nunca casara, aos quarenta parecia estar entrando nos trinta. A cada dia se fazia mais viçosa. Pele de pêssego, tonalidade de jambo, lábios quais morangos, um avantajado quadril contrastando com finíssima cintura, pernas longas e bem desenhadas, os longos negros cabelos que emolduravam os olhos amendoados verdes qual mar. Inacreditável ser solteira. Inconcebível. Sem sequer um reles namorado, desde que apareceu por aquelas bandas e lá se iam muitos anos. Embasbacavam-se todos, pois ela parecia mulher absolutamente feliz.
Como falava pouco, quase nada se sabia dela, da intimidade. Dizia reservadamente às damas que para manter a forma, não comia suas obras. No entanto, quando passava seu cheiro doce de frutas com nuances de florais sustentava-se no ar. Alguns homens apostavam que ao dela se aproximarem exalando de sua boca vinha um odor que encontravam nas tortas. Outros diziam que era qual cheiro do chocolate o aroma que vinha de sua pele, seu suor.
Uns achavam até que ela tinha um ou uns amantes secretos. A verdade é que nada pudera se comprovar. Tudo era muito preservado, velado. Sabia-se apenas que nas madrugadas por um considerável período a luz do quarto que era o dela permanecia acesa, no outro, na seqüência apagava-se a luz do quarto e acendia-se a da cozinha,que só apagava já ao amanhecer.
As tortas... Ah as tais tortinhas eram entregues pessoalmente por ela nos pontos de venda a partir das dez horas. Esse era um conhecido ritual.Somente no domingo a luz da cozinha não acendia, apenas a do quarto.Na segunda era o dia que não havia entrega.
Sei mais não... Só isso...
Só sei que a Ciça tinha um segredo só dela, supõe-se que cada homem da cidade o partilhava com ela, mas nunca entre si.
Ninguém ousava mais do que meras especulações.
Apenas...



Este texto faz parte do Exercício Criativo “O segredo”
Saiba mais e conheça os outros textos, acessando:
http://www.encantodasletras.50webs.com/o_segredo.htm

Nenhum comentário:

Dezembro vindo.....

Daisypath Anniversary tickers
Monarch Butterfly 2

Escrevo para.........

Quando escrevo exorcizo fantasmas, é meio abstração e também minha realidade se despindo.Sou eu me confessando a mi mesma.

Um Poetrix ...verdinho......


Escrevo para....

Escrevo para por no mundo pequenas ânsias, escrevo para aportar desejos aflitos, escrevo para me salvar, é como Jogar as âncoras, o barco ora vai ao sabor das ondas, ora é a deriva....
Escrevo para acariciar as suas almas,e ser tocada por seus olhos impressos de brilho!
escrevo para Gozar,Flutuar, ser e merecer, Escrevo para seus delírios, seu deliciar!
Escrevo para vocês,
Agradeço seus olhos em mim, na minha ruptura poética!
Escrevo!

Muito grata por me sorverem as letras!
A todos que aqui passarem seus olhos, mentes e corações!
Rose

Sobrepondo Sonhos.....