Marcadores

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Saudades em trovas





Saudades em trovas
I

Coração murcho, vazio.
Talvez saudoso de ti
Olhos nublados, sombrio.
Tanto que te queria aqui.

II

Faz muito que não te vejo
Tempos que de ti nem sei
Vontade de ter um beijo
Porque de ti que gostei?

III

Queria ao menos ter notícia
Saber de ti, que estás bem.
Ouvir - te, doce delícia.
Mas isso, não me convém.

IV

Então me resta saudade
O que de ti ficou em mim
Guardo o querer a vontade.
Tentar te esquecer, assim.

Um comentário:

Jorge Sader Filho disse...

A suave maneira de ser da poeta!

Beijos, Rose.

Dezembro vindo.....

Daisypath Anniversary tickers
Monarch Butterfly 2

Escrevo para.........

Quando escrevo exorcizo fantasmas, é meio abstração e também minha realidade se despindo.Sou eu me confessando a mi mesma.

Um Poetrix ...verdinho......


Escrevo para....

Escrevo para por no mundo pequenas ânsias, escrevo para aportar desejos aflitos, escrevo para me salvar, é como Jogar as âncoras, o barco ora vai ao sabor das ondas, ora é a deriva....
Escrevo para acariciar as suas almas,e ser tocada por seus olhos impressos de brilho!
escrevo para Gozar,Flutuar, ser e merecer, Escrevo para seus delírios, seu deliciar!
Escrevo para vocês,
Agradeço seus olhos em mim, na minha ruptura poética!
Escrevo!

Muito grata por me sorverem as letras!
A todos que aqui passarem seus olhos, mentes e corações!
Rose

Sobrepondo Sonhos.....